Entorno

Para evitar reajuste nas passagens, Sônia Chaves defende consórcio entre prefeituras do entorno e GDF

Para evitar reajuste nas passagens, Sônia Chaves defende consórcio entre prefeituras do entorno e GDF

A ideia do consórcio foi apresentada ao ex-governador do DF, Rodrigo Rollemberg, mas não receberam o devido retorno e acabou engavetada.

Os passageiros do Entorno do Distrito Federal que se deslocam diariamente para Brasília já estão pagando mais caro pela passagem. O reajuste da tarifa foi autorizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), o percentual aplicado sobre os valores atuais foi de 5,2% e entrou em vigor nesse domingo (24). O número é maior do que a previsão do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado de fevereiro, que deve fechar em 3,87%.

Com o reajuste a população de Novo Gama e Pedregal, por exemplo, pagará agora R$6,40, já pra quem mora no Lago Azul, a viagem custará R$7,60. Mas o aumento vem sendo questionado por gestores das cidades do entorno do Distrito Federal.

“O preço alto da passagem faz com que a população daqui não consiga emprego no DF porque as empresas não querem ter que pagar pelas passagens”, afirmou a prefeita de Novo Gama, Sônia Chaves. Outro desafio enfrentado pelos gestores das cidades afetadas é a falta de autonomia sobre o reajuste. Por se tratar de um trajeto interestadual, toda a autoridade sobre as frotas e a responsabilidade de executar a fiscalização é da ANTT, bem como o reajuste tarifário e o número de linhas e viagens.

“Não temos autonomia para atuar no transporte de nossa cidade, mas não ficamos de braços cruzados. E necessário que a responsabilidade do transporte do entorno seja repassada pra os gestores do entorno”, concluiu a prefeita. A iniciativa comentada por Sônia refere-se ao projeto da Associação dos Municípios Adjacentes à Brasília (AMAB), que há muito vêm pressionando a ANTT para criar um consórcio entre as prefeituras e o Governo do Distrito Federal (GDF) e assim gerenciar o transporte interestadual.

A ideia do consórcio foi apresentada ao ex-governador do DF, Rodrigo Rollemberg, mas não receberam o devido retorno e acabou engavetada. “No entanto, nós não deixamos de lutar por isso nas reuniões da AMAB. O que foi bom já que o atual governador tem-se mostrado mais aberto à comunicação com os prefeitos e prefeitas”, disse a prefeita Sônia.

População

Os moradores reclamam que as viagens ofertadas são insuficiantes e que o estado de conservação dos veículos é péssimo. “Muitas vezes os ônibus quebram na estrada e sempre passam lotados. E não condiz com o alto preço que pagamos na passagem”, exclamou Rayane Gomes moradora do Pedregal e trabalha na Asa Norte.

Esses problemas poderiam ser resolvidos caso a parceria se concretizasse. “Com a autonomia, poderíamos aumentar a fiscalizaçao quanto à qualidade da frota e o cumprimento dos horários, exigindo que ônibus estjam funcionando bem e trazendo um número maior de viagens”, explicou Sônia.

Sobre o autor | Website

Jornalista Especializado em Comunicação Empresarial e Marketing em Mídias Digitais. É idealizador da Escola do Jornalista Digital e foi Diretor de Comunicação e Marketing da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!